FOTOS

Pet’s podem ter mais alergias na primavera
por Dra. Elizabeth Alvim de Souza Mello

A primavera chega dia 21 de setembro. E, com isso, os animais que têm predisposição a processos alérgicos ficam mais vulneráveis. Uma das causas de alergia é o pólen das plantas. Os sintomas mais frequentes são bem parecidos com dos humanos, como coceiras, rinites, espirros, olhos lacrimejando e tosse.

Estes sintomas podem ser mais evidentes nas patas, face, pescoço, boca, orelhas e nas áreas próximas à base da cauda. Mas nem toda a coceira é devida a alguma alergia.
O mais importante sempre é tentar identificar a causa desse incomodo e, se o proprietário não conseguir descobrir o motivo, o ideal é levar o bichinho a um médico veterinário de confiança.

Uma das alergias mais comuns é a de contato. Mas há também alergias a pulgas, alergia alimentar e, por último, alergia ao pólen, que é uma das mais difíceis de se controlar, porque todo tratamento alérgico consiste em retirar o animal do contato com o alérgeno. Sendo assim, na primavera as plantas soltam mais pólen do que o normal, e fica quase impraticável o isolamento do animal. Já nas outras alergias o controle se torna muito mais acessível, mas sempre com a supervisão de um profissional, como o veterinário.

Para se fechar um diagnóstico das doenças alérgicas é preciso ficar atento a fatores como histórico, exame clínico, teste alérgico e diagnóstico apropriado das doenças de pele secundárias, que quase sempre estão associadas às alergias. O tratamento depende do tipo, da causa, do grau de alergia do seu bichinho de estimação e do resultado do exame.

A melhor prevenção é reduzir a exposição do cão aos alérgenos e seguir o tratamento prescrito pelo médico veterinário. Dietas específicas para cães aumentam a imunidade e provocam melhora geral no quadro de alergias, mesmo porque as rações a base soja e milho, usados em grandes quantidades nas rações secas, colaboram para aumentar alergias alimentares. Existem no mercado as rações chamadas hipoalergênicas, que ajudam muito a controlar essas alergias.

No caso de alergias de contato, mantenha o animal longe de gramas e de pulgas, pois existe a alergia à saliva deste parasita, que se chama DAPP (Dermatite Alérgica a Picada de Pulga). Use capas plásticas e lençóis em camas e casinhas, isolando ao máximo o animal de madeiras, mofo, carpetes, tapetes etc. Lave o “enxoval” do peludo com água quente. 

Local úmido na vida de um cão alérgico é muito prejudicial. E, quando for dar banho, seque-o bem. Nunca deixe a pele de um animal alérgico úmido, por mais quente que esteja o dia. Nesse caso, os banhos podem ser reduzidos e investindo assim nas escovações diárias. 

Existem vários medicamentos que podem ser usados para controlar as alergias, mas eles somente devem ser prescritos por um médico veterinário.

NUNCA MEDIQUE SEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO POR CONTA PRÓPRIA!

O melhor controle é evitar o contato do animal com os alérgenos aos quais ele é sensível.

Dra Elizabeth Alvim de Souza Mello • CRMV 8058 • Veterinaria na Xandogs Pet shop • fone 26317580