FOTOS

Como estão seus olhos diante da arte?

 

No dia 18 de agosto comemora-se a Dia Internacional da Arte, onde, a arte é considerada uma das melhores maneiras do ser humano expressar seus sentimentos e emoções, também é o reflexo da cultura e da história, considerando os valores estéticos da beleza, do equilíbrio e da harmonia.

A arte (do latim ars) é o conceito que engloba todas as criações realizadas pelo ser humano para expressar uma visão/abordagem sensível do mundo, seja este real ou fruto da imaginação. Através de recursos plásticos, linguísticos ou sonoros, a arte permite expressar ideias, percepções e sensações.

Desde a pré-história, verificamos a necessidade do homem em representar a realidade sob a sua perspectiva e percepção. A arte evolui com o tempo e em cada época, de acordo com o contexto histórico. 

A arte pode ser também definida como algo inerente ao ser humano, feito por artistas a partir de um senso estético, com o objetivo de despertar e estimular o interesse da consciência de um ou mais espectadores, além de causar algum efeito com cada expressão artística possuindo significado único e diferente.

Está interligada à estética pelo fato de ser potencial do homem de imprimir beleza ou se esforçar para materializar (ou imaterializar) algo que o inspira.

A arte transforma nossa maneira de pensar e entender o mundo, pois, nos faz repensar os nossos posicionamentos socioculturais e artísticos. Busca a análise dos objetos de arte em percursos históricos, pois de alguma forma a arte interfere na sociedade e, ao mesmo tempo, recebe influências do meio em que está inserida.

História da Arte

A história da arte é uma área do conhecimento que analisa os estilos artísticos, suas modificações, obras de arte, artistas e o valor estético das obras produzidas. Esse estudo é realizado de acordo com o cenário social/político/religioso que a sociedade viveu ou vive em determinado período. Várias outras ciências servem de auxílio para a história da arte, como a numismática, paleografia, história, arqueologia, psicologia, sociologia, etc.

Estudar história da arte significa entender e refletir sobre as principais correntes da crítica de arte, o estudo de objetos artísticos, buscando a arte na relação homem-mundo, pensando e analisando os momentos cultural-artístico e estético de diversos tempos e sociedades, criando desta forma conhecimentos significativos sobre a humanidade.

É uma disciplina que está no plano de aula de alguns cursos e também como curso de graduação para aqueles que desejam se formar na área e exercer profissão de curador, crítico de arte (realiza uma análise sobre as obras, artistas ou expositores) ou gestor de museus, galerias, centros culturais e escolas de arte.

 


 

Tipos de Artes

De acordo com o segmento, a arte pode ser classificada de várias maneiras. Veja a definição de algumas:

Artes Plásticas: está relacionada a escultura, arquitetura, artes gráficas e o artesanato.

Artes Visuais: é a classificação dada para todos os tipos de arte que retratam a realidade ou a imaginação e que tem a visão como um dos principais recursos para estudo. Envolve áreas como a pintura, cinema, decoração, jogos, etc.

Artes Cênicas: é o estudo de todas as formas de expressão realizadas através da dança, do teatro ou da música.

Música: é um tipo de arte que se baseia em sons e ritmos de acordo com determinado período de tempo;

Dança/Coreografia: a dança está classificada dentro das artes cênicas, e é uma forma de movimento que se realiza com o corpo baseado ou não em uma coreografia (arte de criar roteiros/trilhas de movimentos para realizar uma dança);

Pintura: está relacionada a cor e suas variações, bem como a forma com que o artista a utiliza em uma superfície;

Escultura: é uma forma de arte em que há a criação de imagens plásticas em relevo utilizando vários tipos de materiais (bronze, mármore, argila, madeira, etc.);

Teatro: é um tipo de arte em que um ou mais atores encenam uma determinada história ou situação em local específico (anfiteatros, praças, ruas, etc.);

Literatura: é uma arte que utiliza a palavra para criação de histórias ou poesias de acordo com técnicas específicas;

Cinema: é uma arte e técnica criada para a reprodução de imagens com movimento em uma tela;

Fotografia: se baseia em imagens e técnicas para capturar paisagens e seus diversos momentos;

Histórias em Quadrinhos: forma de arte que utiliza a cor, a palavra e imagem para narrar uma história;

Jogos de Computador e de Vídeo: constitui na criação de jogos que podem ser reproduzidos por meio de um aparelho eletrônico com imagens, cores e sons que fazem com que o jogador interaja com ele;

Arte digital: é a arte produzida por meio de programas de computador relacionados às artes gráficas, que possibilitam criações em 3D e 2D.

O belo e a arte

Quando se contempla uma obra de arte, ocorre uma interação, experimentando-se nessa relação diferentes estéticas, sentimentos e percepções. Apreciar um quadro pintado de forma tradicional, ou seja, com tinta sobre tela, por exemplo, é mergulhar em uma experiência dos sentidos.

O belo não é necessariamente o objeto criado, mas o resultado da arte, ou seja, o encontro com as sensações que a obra propicia a quem a observa. Isso porque, mesmo que um objeto criado não seja considerado belo, da forma tradicionalmente concebida, com formas perfeitas e proporções harmônicas, a experiência artística será sempre uma experiência com o belo, à medida que o contato com a obra propiciará um contato com os elementos do sensível.

A arte registra ideias e as ideologias de culturas e etnias, sendo assim, ela se torna fundamental para a compreensão da história da humanidade e do mundo. Formas artísticas podem extrapolar a realidade, exagerar coisas aceitas ou simplesmente criar novas formas de se observar a realidade.

Uma das características da arte é a dificuldade que se tem de conferir-lhe utilidade. Muitas vezes esta dificuldade em encontrar utilidade imediata para a arte mascara preconceitos contra arte e os artistas. Como manifestação cultural humana, pode ser utilizada para coesão social, reafirmando valores ou, pelo contrário, criticando-os.

Por isso nos debruçamos na polemica sobre a temática da pichação, do funk e do rap em suas diversas perspectivas, o presente trabalho procura, através do viés da filosofia estética, enveredar-se pelos principais alicerces que sustentam a pichação e a canção enquanto forma autônoma de arte e manifestação social.

Entender essas manifestações para além de uma interpretação objetivamente artística e, sobretudo, filosófica, tem como escopo a realização de forma crítica e dialógica. 

O sentido pelo qual as entendemos dessa forma, guarda intrínseca relação do fenômeno com o seu entorno: a cidade, o sujeito, o expectador, o agredido e o seu poder simbólico. 

Através da arte, é possível transformar valores humanos pela criatividade e até mesmo tornar o convívio com as diferenças, uma verdadeira celebração. Utilizar-se da arte em todos os lugares de fácil acesso, visando o pleno exercício da cidadania, pode ser uma saída interessante, pois ensina a agir para que um dia as leis possam sair do papel tornando-se realidade, valorizando o mais simples e o mais pobre.

A arte possuindo a função transcendente, ou seja, manchas de tinta sobre uma tela, paredes ou palavras escritas simbolizam estados de consciência humana, abrangendo seu verdadeiro “EU”. A arte pode trazer indícios sobre a vida mais profunda de um povo. Assim, conhecemos a historia verdadeira do ser humano por meio da arte.

 

Por Cida Lopes • Gestora/Produtora de Eventos/Docente – MBA em Hospitalidade •  cida.aparecida.lopes@gmail.com


 

Voltar