FOTOS

Ansiedade excessiva:

Transtorno de Ansiedade Generalizada

 

A ansiedade é um estado emocional normal, que influi no funcionamento de todas as nossas funções cerebrais e, colabora para uma reação positiva diante da vida nas situações do dia a dia. Porém, pode tornar-se uma doença. Isso acontece quando é desproporcional ou inadequada diante de uma determinada situação, provocando sofrimento e prejuízos nas atividades, em todos aspectos da vida pessoal.

Nem sempre uma pessoa ansiosa apresenta um transtorno. O desconforto pode ser motivado por problemas passageiros. A ansiedade tem causas desconhecidas. Fatores hereditários, psicológicos, ambientais e químicos estão envolvidos no seu surgimento.

Para saber se a ansiedade que você sente é sintoma de um transtorno, faça uma auto avaliação se nos últimos seis meses percebeu que:

-Preocupa-se de forma excessiva com situações cotidianas.

-Apresenta dificuldade em adormecer ou acorda com frequência à noite.

-Sente-se cansado, corpo pesado e indisposição.

-Têm dificuldade de concentração, com a sensação de que o cérebro vai “pifar”.

-Demonstra-se inquieto, insatisfeito, não conseguindo dedicar-se às atividades costumeiras.

-A musculatura fica tensa com frequência, dores no corpo, nuca e costas.

-Apresenta irritabilidade constante.

-Dificuldade em relacionar-se com as pessoas devido a intolerância.

Se percebeu esses sintomas fazendo parte do seu dia a dia, esteja alerta! São sinais de atenção do TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada). A maioria dos portadores tem predisposição genética, e as situações do cotidiano o desencadeiam. É mais frequente em mulheres, assim como os mais jovens são mais vulneráveis. Em geral, inicia entre os 16 e 30 anos de idade.

Muitas vezes é confundido inadequadamente como estresse, passando anos sem o diagnóstico correto. Sem tratamento precoce, o distúrbio tende a se tornar crônico, podendo evoluir, após alguns anos, para a depressão.

Os portadores do TAG remoem preocupações quase todo tempo, qualquer coisa é motivo para tensão, tanto que, o sintoma psicológico central é a preocupação excessiva. Essa preocupação pode ser com problemas importantes ou com pequenos problemas do cotidiano. Ocasionalmente reconhecem que isso é irracional, excessivo e desproporcional para a situação, porém, não conseguem parar de pensar nelas. Paralelamente, surgem os sintomas físicos: sudorese, taquicardia, boca seca, gastrite, diarreia, tontura, calafrios ou ondas de calor.

O tratamento que minimiza o impacto do TAG é o medicamentoso (antidepressivos e benzodiazepínicos) e psicoterapia cognitiva comportamental que vai ajudar a avaliar e a desmontar certos padrões de pensamentos, ideias e comportamentos que fazem mal ao indivíduo.

O objetivo do tratamento é levar o paciente a agir normalmente no seu dia a dia, direcionando e reduzindo suas preocupações. Buscar tratamento é fundamental.

 

Por Renaura Silva Francisconi Pardal • CRP 35469-7 • Psicóloga Clínica e Psicopedagoga • Av. Amador Bueno da Veiga, 1.230 cj 1002 renaura.f@hotmail.com • 99299-0932 • 2791-4005 


 

Voltar